Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \31\UTC 2010

“Thaís Oliveira teria hoje 15 anos. Era diarista. Ela namorou Fábio desde os 13. E é claro, descobriram a vida sexual juntos. Ela, por ser filha de pais evangélicos, não tinha a mínima abertura para falar sobre sexo. Tudo que aprendeu foi com seu namorado, com as amigas e, quando conseguia vencer a barreira da timidez, perguntava algo para a professora. O casal realmente se amava, eram do tipo que com certeza teriam uma relação duradoura. Por falta de informação, Fábio não sabia colocar a camisinha direito. Até que um dia, aconteceu. O preservativo estourou e, por culpa do tesão, só foram perceber o ocorrido no final da relação sexual. Em uma tarde de dezembro, em pleno período de férias escolares, Thaís ficou grávida. (mais…)

Anúncios

Read Full Post »

Meu texto de hoje faz uma releitura do post “Matias e o vagão do inferno”. Trata-se de um apanhado de informações e divagações que faço quando utilizo o transporte público de São Paulo, especialmente o metrô.

No texto do Matias, conto alguns detalhes irritantes que, não só eu, mas muita gente nota dentro de um metrô ou ônibus. Entre eles, e talvez o mais chato, seja aquele grupo de fulanos galeirosos que insistem em ouvir suas músicas no celular sem usar um fone de ouvido.

Hoje, contudo, gostaria de propor uma discussão sobre o quê se passa na cabeça das pessoas enquanto elas estão no metrô. A ideia surgiu na noite de ontem. Quando voltava pra casa, consegui um lugar para me sentar no metrô e abri meu livro. Uma estação depois, entra uma mulher meio espalhafatosa e se acomoda ao meu lado.

  (mais…)

Read Full Post »

“O ser humano é descartável no Brasil”. É com essa frase do polêmico Mano Brown que abro o texto. E é essa mesma frase que tem me feito pensar. É meio que triste esse lance, mas se for analisar, é realmente uma verdade. O ser humano se tornou descartável no amor, no trabalho e até na amizade.

Em se tratando de amor e amizade, eu já escrevi sobre (na minha última crônica), mas vale a pena falar mais um pouco. Tanto em uma relação, como outra, uma das pessoas envolvidas espera demais do lance todo. Não tô falando que é errado esperar bons sentimentos de uma relação. O que eu digo, é que cria-se uma expectativa para que o parceiro seja exatamente como a pessoa sonhou. E aos primeiro “vacilos”, em vez dos namorados ou amigos sentarem e conversarem, para esclarecerem e acharem um meio termo aceitável para ambos, eles simplesmente se afastam. É como se uma pessoa comprasse um livro e lá pelo terceiro capítulo, não gostasse e simplesmente o jogasse fora. Ou sei lá, desse para outra pessoa. (mais…)

Read Full Post »